Entretenimento Postado por Leon Carelli - 6 de novembro de 2015 14:57 | Atualizado há 3 meses

Batalha no Beco da codorna

Evento de rua chega a sua terceira edição e agita o sábado na capital

diario da manha

O Beco da Codorna, que fica na região Central de Goiânia, recebe pela terceira vez uma batalha de MCs que promete reunir rappers de todos os lados da cidade e região. Além dos duelos de rimas, várias atrações musicais estão confirmadas. O evento tem como objetivo mostrar a diversidade musical crescente no estado e surge como uma alternativa a mais para o fim-de-semana.

A organização é do coletivo SemSalivaCrew, grupo independente que faz as ligações necessárias para que o evento aconteça, em parceria com o Riminação, coletivo de aparecida de Goiânia que vem se especializando na organização de batalhas do gênero. A parceria, que também engloba vários outros coletivos, já colhe vários frutos, como a realização do Green City, que reuniu em setembro artistas do eixo Goiânia-Brasília. O elenco se apresenta na batalha do sábado inclui os grupos Marreta Sound System (Anápolis), Subversão Feminina, K’Ment, e Incrimeni.

O Grupo de rap Subversão Feminista é uma das atrações do sábado. Formado pelas integrantes Verilucy Cristine, Regiane Mendonça, Kelly Gonçalves e Lidianne Rodrigues, surge na missão de defender os Direitos Humanos e a dignidade das mulheres. Segundo Regiane, em entrevista ao DmRevista, elas buscam “denunciar a realidade de violência e injustiças do sistema patriarcal, capitalista e racista. E propõe a conscientização, a organização e emancipação das mulheres e da classe trabalhadora”.

Relatos da Leste

O encerramento da noite fica por conta dos goianienses da Relatos da Leste. O grupo, formado em 2011 traz a essência do rap goianiense, com histórias cotidianas que revelam realidade de uma das cidades mais desiguais do mundo – comum a muitos filhos do crescimento desenfreado da metrópole – sempre em defesa da liberdade de expressão da periferia. O coletivo lançou em 2015 o álbum ‘Cultura de Rua’, um verdadeiro documentário da vida na Zona Leste da cidade.

Em suas canções, trazem muito da memória visual de quem cresceu longe do eixo central de Goiânia, fora dos parquinhos e quadras poliesportivas de condomínios fechados. Em contraste a essa realidade, trazem os lotes vagos que no improviso transformam-se em zona de pipa e as ruas que viram campos de futebol, onde as traves eram marcadas por chinelos.

Versos como “Sabadão na Vila Viana no tempo de pipa” e “juntar a molecada inteira pra jogar golzinho na rua”, presentes na canção ‘Cultura de Rua’ exemplificam o impacto nostálgico e a função documental das letras, que protagonizam o modo de vida das pessoas esquecidas em MPBs requentados e rock em inglês, sempre presentes nos jornais da cidade.

Sound System

Para entender um pouco da história desse termo que vem ganhando as festas de rua de Goiânia, conversamos com Wilton Teles, que é um dos organizadores do evento. Ele diz que o sound system surge de uma demanda popular. “O estilo veio com vendedores de discos, que montavam aparelhos de som nas ruas para levar música e informação para a população que não tinha condições de adquirir equipamento e discos”.

Com o tempo, o movimento começou a ganhar força, e os selectas passaram a colocar efeitos e distorções nas músicas, aumentando o baixo e alterando velocidades. “Os donos da vitrola ou do sistema de som começaram a improvisar, depois surgiram os MCs, que colocavam algum tipo de letra ou alguma mensagem no som. Com isso o gênero foi ficando mais característico”, relata Wilton. Os donos do som passaram a tocar em festas e acabaram criando uma bagagem musical bastante extensa como DJs.

Com a situação econômica instável e os altos índices de pobreza na Jamaica, muitos desses DJs resolveram deixar o país, e passaram a tocar e demonstrar seu conhecimento e habilidades em várias partes do mundo. Da troca de experiência desses DJs com os guetos norte-americanos, começou a se firmar a cultura hip-hop, e outros estilos, como o dub, que começou através de reedições de sucessos pop com batidas e baixos e distorções características que divertiam pessoas em todo o mundo.

tags:

Comentários