Entretenimento Postado por Hélio Lemes - 9 de julho de 2019 15:20 | Atualizado há 4 meses

Astrologia não te define

Se você tem uma visão deturpada e extremista da Astrologia, então esse texto não é para você

diario da manha
Astrology smartphone app concept, woman using mobile phone, close up of hands

Há milhares de anos, a busca pelo autoconhecimento foi traçada pela humanidade e o ponto em comum, a que todos chegam, é sempre o mesmo – meditação. No entanto, o homem criou diversas ferramentas que auxiliam nessa busca interior e a Astrologia é um bom exemplo disso. Mas, ela é apenas mais um método de autoconhecimento e não deve ser vista como o único. Devemos olhá-la com crítica e razão, a fim de não cairmos no equívoco de sermos enganados ou tomarmos para nós teorias das quais não fazem sentido.

Recentemente, uma colega utilizou os serviços de um astrólogo muito famoso. Segundo ela, ele a disse que, caso a mesma queira ter ascensão espiritual, deve passar as próximas férias em Lisboa, Portugal. Isso simboliza, claramente, uma visão deturpada, capitalista e meritocrática da Astrologia. Mas, infelizmente, essa é uma realidade constante e esse tipo de discurso e atendimento prestado é muito comum entre alguns astrólogos, que utilizam dessa pseudociência de forma sensacionalista e pautada na falta de bom senso e empatia.

É importante deixarmos claro que a Astrologia é um dos vários caminhos pelos quais podem ser escolhidos para evoluir e ela, isoladamente, não define o ser humano. Desta forma, cabe cada um a dizer se ela se adequa ou não à realidade pessoal, pois recebemos diversas outras influências que ajudam a construir nossa identidade e visão de mundo. Outro ponto importante, neste episódio mencionado, é sobre o processo de ascensão de uma pessoa, seja espiritual, mental, emocional ou material. A evolução interior não é definida pelo nível social e econômico ou por determinado lugar, como uma viagem para Europa.

A evolução interior acontece a partir do momento em que alinhamos nossa essência com uma verdade muito além do material. É nesse momento que percebemos que não somos definidos pelas circunstâncias, mas somos nós quem as definimos – isso do ponto de vista espiritual, não do ponto de vista social, pois sabemos o quanto a sociedade ainda é racista, preconceituosa e machista.

Somos nós quem fazemos nossas próprias ascensões, lugares não são responsáveis por definirem mudanças. A transformação interior acontece quando passamos a trabalhar a espiritualidade e isso pode ser em qualquer lugar, momento, dia ou situação. Neste caso de Lisboa, a minha amiga pode estar em processo de busca espiritual e pode ter experiência aqui no Brasil ou em Portugal. O que vai definir, de fato, sua ascensão é o tipo de energia na qual ela está alinhada, é a busca pessoal que ela está traçando; não é a viagem, não é o lugar e muito menos o dinheiro que ela irá empregar para isso.

Este é um exemplo marcante do quanto os astrólogos, enquanto profissionais ligados à espiritualidade, não estão interessados em desenvolver o autoconhecimento verdadeiro dos seus clientes. Afinal, a Astrologia não deve estar associada a pessoas de classe média ou alta. Todos nós temos um Mapa Astral, todos temos em cima de nossas cabeças a influência do cosmo, é só olhar para o céu. É errado limitarmos qualquer método de autoconhecimento a grupos específicos. A busca pela espiritualidade deve ser independente de cor, raça, gênero ou fator econômico. Os métodos de autoconhecimento estão disponíveis para todo mundo, igualmente, em qualquer lugar.

Outra situação que ocorreu, desta vez comigo, foi em uma festa infantil. Uma parente, também estudiosa da Astrologia e que a inclui em todas suas conversas, disse que 2019 é um ano no qual ela deve estar atenta às situações inesperadas. Segundo ela, de acordo com sua revolução solar – que é uma forma de analisar a posição dos astros no ano, junto ao Mapa Pessoal -, irão acontecer várias situações por acaso, pois há muito Touro no seu Mapa e isso colabora.

Quero deixar claro que isso é besteira. Existem várias linhas de Astrologia, que estudam diferentes fenômenos, inclusive algumas de cunho premonitório – do qual também não concordo, pois não acredito em previsão do futuro. Essas linhas são a Astrologia ocidental, chinesa, védica, cabalística, natal, horária, eletiva, mundial e agrícola. Todas elas são maneiras de analisar eventos e situações específicas. Mas acima de tudo isso há a ideia de cosmo, universo e energia.

Quando nós estamos alinhados com determinada energia, de qualquer aspecto, nós tendemos a atrair esse mesmo tipo de energia. Energia é vibração e quando vibramos energia positiva, atraímos energia positiva, é algo óbvio. Quando vibramos energia de dúvida, atraímos dúvida. E quando nós adotamos verdades duvidosas e pouco racionais, tendemos atrair esse mesmo tipo de situação e cair em equívoco. Mas como a gente assume essa determinada verdade, ela passa a fazer parte do nosso ser e passamos a nos alienar, acreditando fielmente, sem questionar.

Essa minha parente que disse que seu ano será de situações inesperadas, pois assim ela “viu”,  com certeza situações do tipo irão acontecer com ela. Mas isso é por causa da Astrologia? Não. Isso é pelo fato dela assim estar vibrando ao universo que situações inesperadas irão acontecer com ela e assim o cosmo entende e a envia esse tipo de situação. Ou seja, é tudo uma questão de atração.

A Astrologia não existe para criar estereótipos espirituais ou de personalidade, tampouco para dizer o que irá acontecer futuramente. Ela serve, primordial e sinceramente, para evidenciar aspectos positivos e negativos inerentes à nossa realidade, existência e convivência. Ela mostra onde estamos acertando e onde estamos errando, expondo a forma que devemos operar para evoluir, enquanto espírito e ser humano.

Claro que existem questões que devem ser levadas em consideração, como a influência dos planetas em períodos específicos. Principalmente se esses astros operam de forma significativa no Mapa Astral de algumas pessoas. Um exemplo disso é a retrogradação de Mercúrio – um momento onde tudo parece dar errado. Este posicionamento planetário acaba influenciando o cotidiano, especialmente de quem tem falta ou excesso do elemento ar no Mapa.

No entanto, se a pessoa vibra ao universo que este período de Mercúrio será bom e que situações ruins não irão acontecer, com certeza, assim será, pois o universo irá responder na mesma vibração. Mas caso aconteça o oposto e a pessoa lê sobre o período complicado da retrogradação e assume para ela essa situação negativa, por causa da posição planetária, com certeza, tudo irá dar errado, pois assim ela está vibrando ao universo e ele respondendo.

Outro exemplo significativo e real é a influência dos astros nos anos. Cada ano astrológico, que inicia em março, é regido por um planeta. Neste momento, as mudanças, transformações e situações acontecem de maneira macrossocial. A energia de determinado planeta atua em todo o complexo social. 2019, por exemplo, é um ano de Marte – um período em que precisamos agir e ir à luta sem medo, mas também um momento onde as máscaras caem e as pessoas se revelam verdadeiramente. Novamente, apesar deste ser um tempo de luta, se a pessoa vibra ao universo que não terá dias de paz e glória, somente dias de luta, assim será. O universo irá responder o seu chamado e acontecerá exatamente assim. Mas, se a pessoa entende é um ano de luta, mas que isto representa um contexto macro e que ela terá sim dias de batalha, mas também dias de bem aventurança, o universo irá respondê-la na mesma sintonia.

Dizer que Astrologia determina situações específicas, prevê o futuro ou que o caderno de horóscopo dos jornais irá determinar o dia, isso é tudo uma grande bobagem inventada para alienar as pessoas, reprimir o senso crítico e, claro, é uma tentativa sensacionalista de vender mentiras. A Astrologia é uma ferramenta grandiosa de autoconhecimento, se usada de forma sábia. Nosso Mapa Astral mostra exatamente os pontos onde devemos ou não depositar energia. Ele evidencia a forma que iremos evoluir e como devemos fazer para isso acontecer. É tudo um fruto universal.

Os astros e as constelações são arquétipos grandiosos, que ajudam a criar realidade e nós somos representações disso, mesmo que muito pequenas. Se nós vibramos em determinada energia, essa mesma energia voltará para nós. É o princípio da Lei da Atração, que estabelece todo evento, positivo ou negativo, que acontece com você foi atraído por você. A Astrologia é um método maravilhoso que pode nos auxiliar no processo de cura interior, elevação espiritual e melhoria diária. Devemos estudá-la e entendê-la de forma crítica e racional, a fim de não cair nesses equívocos, ilusões e visões alienantes e deturpadas.

Entenda: o que irá definir sua realidade e seu futuro não é uma Astrologia equivocada e errônea disseminada por capitalistas espirituais e sim suas escolhas, atitudes, ações e, principalmente, o tipo de energia que você vibra para o universo;

Comentários